Texto: João Craveiro | Fotografia:  Mafalda Lalanda

Uma última noite de sensações fortes para deixar-nos com saudades, assim nos despedimos de mais um Vodafone Paredes de Coura.


Para nós, o último dia do Vodafone Paredes de Coura começou e conquistou com Benjamin Clementine. Não há palavras suficientemente certas para definir o impacto deste espectáculo, que deixou de queixo aberto o grande público. O estilo teatral do artista enquadra-se perfeitamente no seu estilo e torna-se um caso singular das produções musicais correntes. Nota-se, de facto, as múltiplas influências europeias, combinadas com um toque do desconhecido. É certo que além do profissionalismo em palco, sobressai um sorriso contagiante e um personalidade extremamente comunicativa com o seu público, ao ponto de nos pôr a cantar, no tom certo, as suas músicas. A veia poética e o espírito idealista deste performance arrebataram todos. Além disso, o carinho do cantor e as sucessivas palavras que foi tentando dizer em português foram um mimo que o Paredes de Coura recebeu de braços abertos.

Segundo o próprio, Portugal é um país que se liga de forma mais profunda às suas músicas e, assim sendo, deixou em território nacional um pouco do novo álbum “I Tell a Fly”.

Ty Segall. O artista, aos 30 anos de idade já lançou mais de 30 singles e é um multi-instrumentista exemplar do rock e suas ramificações. Além da sua voz, percorre a bateria, os teclados, a guitarra e o baixo, tendo ainda a seu cargo a produção de muitas letras e músicas. Neste dia apresentou-se com a banda, marcado pelo vestuário vermelho e os cabelos louros agitados. Batidas energéticas e electricidade em cada nota. Um marco importante para os mais rockeiros.

O último concerto do festival, e também um dos mais aguardados, foram os Foals. Um concerto interminável, quer pelo tempo, quer pelo número alucinante de crowd-surfing a acontecer. O público delirou com a actuação ao ponto de vermos um fã a subir ao lado do grande vocalista da banda. Yannis Phillippakis não ficou atrás. Pôs-se em cima de colunas, mergulhou até ao palco, deu a mão e o braço ao público que estava ao rubro e incansável. No meio da euforia, surge ainda um jogo de luzes complexo com direito a bola de espelhos, em que o nosso olhar tenta não se perder em todo o poderio que caiu no palco.

As músicas, previamente decoradas pelos fãs, foram alvo de agradecimento da banda: “Portugal, thank you. I fucking mean it”. No meio da energia, ainda houve tempo para uma balada com as, cada vez mais recorrentes, luzes no ar.

Quando, finalmente, demos pelo desaparecimento definitivo da banda, houve uma explosão de confetis e balões como forma de celebração do Vodafone Paredes de Coura. Acreditamos que muitos guardaram um pedaço de papel para guardar este momento irrepetível dos 25º anos do Vodafone Paredes de Coura.

Embora parece, a festa não terminou aqui. O Palco After Hours existe para que o festival continue até ao seu limite e foi assim que aconteceu. Primeiro, com Throes + The Shines e depois com Nuno Lopes. Este último, amigo de longa data do festival, geralmente conhecido como actor e DJ Nuno Lopes teve a nobre tarefa de encerrar esta especial edição do Vodafone Paredes de Coura.

A começar a tocar perto das 03h00 ninguém esperava a barragem de música que se seguiria. Uma festa que durou até de manhã, com sonoridades que passaram do techno house para o dubstep e até tempo para se cantar os parabéns a este festival, celebrando o importante marco que são 25 anos. Não foram poucos os que ficaram até ao fim querendo prolongar a magia deste festival. Por volta das 08h00, com o sol já no alto, a música começou a acalmar podendo-se ouvir, entre outros, a música Redbone de Childish Gambino. Um final digno que celebrou bem o espírito do Vodafone Paredes de Coura.

Entretanto, a próxima edição já tem data marcada para o ano.
Os dias 15, 16, 17 e 18 de Agosto foram os escolhidos para receber a 26ª edição do Vodafone Paredes de Coura.

Fala connosco, dá-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.