Texto: Bruno Figueiredo

Chatear-me-ia Morrer tão Joveeeeeeem, Zeus e Cartas de Guerra foram os grandes vencedores da noite

30383773154_97e89065c6_h


Mais um ano de Festival Caminhos do Cinema Português, trouxe uma edição cheia de novos talentos nacionais, e internacionais, no mundo da 7ª arte. Numa edição que contou com “417 filmes inscritos, 135 filmes seleccionados e 13 filmes convidados, 8 dias, 43 Sessões e 4742 minutos do melhor que o cinema português tem a apresentar“, o Festival Caminhos do Cinema Português marcou mais uma vez a posição de defensor e patrono do cinema nacional.

A encabeçar a lista de nomeados deste ano está o filme de animação “Chatear-me-ia Morrer tão Joveeeeeeem…” de Filipe Abranches, que o júri premiou com o Grande Prémio do Festival, Portugal Sou Eu, pela “actualidade e pertinência do tema e originalidade do traço do seu autor”.


O segundo grande vencedor da noite foi então o filme Cartas de Guerra, que recebeu no total 5 galardões, a começar pelo de Melhor Longa-Metragem, passando pelo Melhor Argumento Adaptado para Ivo Ferreira e Edgar Medina, e ainda com os prémios de Melhor Som (Tiago Matos e Ricardo Leal), Melhor Montagem (Sandro Aguillar) e Melhor Fotografia para João Ribeiro pela “poderosa criação de uma identidade visual de Portugal e das colónias durante a Guerra do Ultramar.”


Houve ainda destaque para Sinde Filipe que alcança o prémio Melhor Actor pelo seu papel na obra “Zeus”, filme que ganhou ainda o prémio de Melhor Actor Secundário para Miguel Cunha, para Melhor Caracterização e Melhor Guarda-Roupa, e também para o filme “Refrigerantes e Canções de Amor” que arrecadou os prémios para Melhor Banda Sonora Original de Filipe Raposo e Melhor Direcção Artística, para além do Prémio do Público Chama Amarela.


A lista de galardões da Selecção Caminhos fica completa, com os prémios para Melhor Realizador, atribuído a Rita Azevedo Gomes por “Correspondência“, o Melhor Argumento Original, para João Nicolau e Mariana Ricardo por “John From“, Melhor Actriz, para Ana Padrão pelo seu desempenho no filme “Campo de Víboras“, Melhor Actriz Secundária para Elizabete Piecho por “O Pecado de Quem nos Ama” e o Prémio Revelação atribuído a Leonor Teles por “A Balada do Batráquio“, “pela coragem, aparente leveza e rebeldia com que aborda um dos temas mais preocupantes da actualidade.”

Já o prémio para Melhor Animação foi para José Miguel Ribeiro por “Estilhaços”, e o prémio Melhor Documentário para Rui Eduardo Abreu, Thierry Besseling e Loïc Tanson por “Eldorado”, “uma viagem crua e despojada pela realidade da emigração e da saudade”


Podem conhecer os restantes vencedores caminhos.info

Fala connosco, dá-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.