Texto: Bruno Figueiredo

Durante 5 dias o festival toma conta da ilha de São Miguel nos Açores.


unnamedJá falamos aqui do festival mais intenso do Oceano Atlântico, até puxamos dos galões e falamos com o director artístico Márcio Laranjeira, mas no dia de arranque desse mesmo festival, vale a pena rever o plantel de convocados, as sugestões e tudo o que podem esperar.

A sessão de abertura do TREMOR está marcada para as 19h00 de hoje, ao som da Escola de Música de Rabo de Peixe, no Armazém do Armador no Porto de Pescas da mesma localidade, e com a projecção do documentário da Red Bull Media House sobre o “AZ-RAP: Filhos do Vento”, um movimento hip hop açoriano, estendendo-se  ainda à noite para o Arquipélago Centro de Artes Contemporâneas na Ribeira Grande, onde irão actuar Volúpia das Cinzas, Gala Drop e Black (DJ set).

A partir daí, os dias estarão saturados de música, com concertos a toda a hora, incluindo: a programação do Tremor na Estufa que promete levar os melhores concertos surpresa a locais secretos, o Tremor Todo Terreno powered by Merrell que promete levar o público a concertos rodeados de natureza depois belas caminhadas, e ainda exposições e conversas com a plataforma The Creative Independent e terminando os dias nos espaços do Auditório Luís de Camões, Canto do Aljube, Solar da Graça e Arco 8, em Ponta Delgada, com concertos e DJ sets.

Da programação podemos começar por destacar o concerto de Circuit des Yeux no dia 5 pelas 22h00, o projecto em que a norte-americana Haley Fohr nos apresenta uma “voz incontível a rasgar dedilhados dilacerantes de guitarra”. Depois no dia 6 podem começar a tarde às 15h00, em plena natureza micaelense, ao som do concerto de Jacco Gardner e os seus teclados (sessão esta que se repete a 7 de Abril), e podem terminar o dia 6 ao som dos Ghost Hunt e o seu universo kraut rock no Solar da Graça, pelas 23h30. No dia 7 de Abril destacamos ainda a passagem dos finlandeses K-X-P pelo Arco 8, numa noite que promete sonoridades electrónicas “numa mistura orgânica de compassos digitais solenes”.

Chegados ao dia 8 de Abril, o dia D do TREMOR, a programação não tem pausas para descanso.

A arrancar às 10h00 da manhã e preencher o dia até à madrugada de domingo. No cartaz destacam-se a passagem dos Beak> pelo Coliseu Micaelense, local onde também passará o, já histórico, Bonga e a sua típica animação. Durante o dia há também espaço para o novo “Good Boys” dos Stone Dead subir ao palco do Raiz Bar, dos Flamingods passarem pela antiga Garagem Varela, os míticos Mão Morta visitarem, também eles, o Coliseu Micaelense e começar a noite ao som de um “Chino no olho” dos Corona. Este é ainda o dia para a programação mais infantil com o o MINI Tremor powered by Yoçor, que envolve animação circense por parte da companhia Fungis Magic Truxis, com balões, malabares e o espectáculo de clown “Notas com Massas”.

Parte da cidade que será, ainda, transformada por intervenções dos artistas plásticos Fernando Almeida e João Paulo Lima.

Relembramos que  festa começa hoje às 19h00 e podem conhecer o line-up e horários em www.tremor-pdl.com/pt/#line-up.

Fala connosco, dá-nos a tua opinião!