Texto: Bruno Figueiredo

Depois de, em 2015, ter pisado o palco do Milhões de Festa, a lenda da música alemã regressa para um concerto muito especial.

14566354_10154523990463168_7941642291027958867_o


Fundador dos lendários NEU! e Harmonia, figura de destaque no mundo da música alemã e outrora membro dos Kraftwerk, Michael Rother é um nome que ressoa na história da música como percursor de uma geração.

Em 2015 passou por Portugal, numa noite mágica do também sempre mágico Milhões de Festa, e se a memória não falha, “tudo o que ali aconteceu foi magia que nos envolveu num misto de alerta e dormência, deixando-nos sem palavras”.

Agora, regressa a Portugal para mais um espectáculo que, esperamos, repita a dose, e que terá lugar na sempre acolhedora blackbox do gnration, já no próximo dia 16 de Outubro, pelas 18h00.


Antes de se lançar a nove trabalhos a solo, Michael Rother foi membro dos Kraftwerk em 1971 e fundou os lendários grupos NEU (com Klaus Dinger) e Harmonia (com Hans-Joachim Roedelius e Dieter Moebius, dos Cluster). Guitarrista e multi-instrumentista, foi figura-chave na inovadora cena musical que florescia na Alemanha no arranque da década de 70, servindo de inspiração para músicos no mundo inteiro, numa lista de onde podemos destacar nomes como David Bowie, Brian Eno, Iggy Pop, Devo, Sonic Youth, Stereolab, U2, Radiohead ou Primal Scream, entre outros.

Tendo percorrido o mundo nos últimos anos, desde a reedição dos discos de NEU!, Rother colaborou com inúmeros músicos. Em 2010, forma Hallogallo, um supergrupo com o baterista Steve Shelley, dos Sonic Youth, e o baixista Aaron Mullan, dos Tall Firs e, dois anos mais tarde, junta-se a Dieter Moebius (Cluster, Harmonia) e Hans Lampe (La Düsseldorf)  numa tour pela Austrália.

Nos dias que correm, em palco vê-se acompanhado de Hans Lampe na bateria e Franz Bargmann na guitarra. No gnration, Michael Rother apresentará temas de NEU!, Harmonia e ainda canções favoritas do seu trabalho a solo.

Fala connosco, dá-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.