Texto & Fotografia: João Craveiro

Depois do sucesso da primeira edição, o Lisboa Dance Festival (LDF) prepara-se para voltar em grande. Segundo a coordenadora do evento, Karla Campos, o projecto tem como objectivo “colocar Lisboa na rota dos festivais de música electrónica”.

img_2616


A juntar-se aos já anunciados TOKiMONSTA, Marcel Dettmann, Dekmantel Soundsystem e Hercules & Love Affair temos Mount Kimbie. Esta dupla britânica de pioneiros do post-dubstep chamou à atenção em 2013 com o lançamento do seu segundo álbum Cold Springs Fault Less Youth na Warp Records. Agora pretendem apresentar ao público português o seu novo álbum a estrear em 2017.

Outra grande confirmação, a actuar pela primeira vez em Portugal, é Jessy Lanza. A artista canadiana que lançou em maio deste ano o seu segundo álbum Oh No pela bem conhecida editora britânica Hyperdub.

Esta edição do festival conta também com a curadoria de dois artistas portugueses: Moullinex, que actuou na edição passada do festival e Branko que se vai estrear com uma noite de sua autoria.

A Antena 3 tem a sua própria sala dentro do festival, o clube Antena 3 que conta com a participação do Conjunto Corona, que acaba de lançar o seu terceiro disco de nome “Cimo de Vila Velvet Cantina”, Rui Maia e Holy Nothing. Ainda a marcar presença no festival uma revelação do hip hop nacional Holly Hood. Mai Kino outro dos nomes anunciados é uma artista portuguesa residente em Inglaterra, revelação da pop electrónica, tem um EP novo intitulado The Waves.

Uma das novidades desta edição do LDF é um espaço dedicado exclusivamente a concertos b2b, isto é, back to back. Esta sala conta desde já com as actuações de Stereossauro b2b Dj Kwan e Sam The Kid b2b DJ Big.

Ter “uma visão 360º sobre a música electrónica” é algo claramente importante para a organização do festival e, para concretizar essa visão, estão programadas Talks coordenadas pelo jornalista e radialista Rui Miguel Abreu, director do Rimas e Batidas, à semelhança do ano passado. As palestras pretendem conferir uma dinâmica académica ao festival e serão abertas para todo o público. Com uma forte presença feminina no cartaz, é pretendido discutir o papel das mulheres no mundo da electrónica e o crescimento do hip hop em Portugal, com outros temas por anunciar.

O festival irá decorrer nos dias 10 e 11 de Março de 2017 e os bilhetes já podem ser comprados nos locais habituais por 35 euros até 31 de Dezembro de 2016.

Fala connosco, dá-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.