Entrevista: Liliana Pedro

A 15º edição do Jazz Ao Centro arranca já amanhã. Carmen Souza, Lina Nyberg e o projecto Marcelo D2 & Samba Drive são alguns dos nomes que prometem trazer o jazz ao distrito de Coimbra.


A Culturarte esteve à conversa com José Miguel Pereira, presidente do Jazz ao Centro Clube, para vos fazer chegar um pouco mais do que podem esperar desta 15ª edição do Festival, que promete quebrar as barreiras geográficas e levar o Jazz a mais recantos do distrito de Coimbra.

Liliana Pedro – Como surgiu a ideia de criar um festival de jazz na zona centro do país?

José Miguel – O Jazz ao Centro – Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra – realiza, este ano, a sua 15ª edição. Desde o início, em 2003, foi um festival fortemente enraizado na cidade de Coimbra e, embora tenha sofrido alterações significativas no desenho do festival, este manteve sempre as fronteiras geográficas restritas ao concelho de Coimbra.

Nos últimos anos, porém, temos trabalhado a partir de um entendimento diferente do território privilegiado para a acção do Jazz ao Centro Clube.

Isso está ligado, sobretudo, ao facto de, nos últimos 3 anos termos integrado a plataforma LINHAS, um projecto em parceria com o Círculo de Artes Plásticas e com a Casa da Esquina.

Neste projeto estamos atualmente a trabalhar com 4 municípios. Além de Coimbra, temos Miranda do
Corvo, Penela e Vila Nova de Poiares. Nesse sentido, a extensão do Festival a outros Municípios do distrito de Coimbra é o resultado natural da vontade de trabalhar em rede, permitindo pensar no nosso papel num território alargado.

LP – Como é a programação este ano?

JM – A programação desenrola-se ao longo de 3 fins de semana, com concertos em Coimbra, Miranda do Corvo e Penela e actividades de formação e espectáculos dirigidos ao público jovem na Figueira da Foz e em Vila Nova de Poiares.

LP – Quais os concertos que merecem destaque nesta edição?

JM – Nos Municípios parceiros, merecem natural destaque os concertos de Carmen Souza (dia 13 out, às 22h00, no Auditório da Biblioteca Municipal de Penela) e de Lina Nyberg (dia 14 out, às 22h00, na Casa das Artes de Miranda do Corvo). Se olharmos à programação de Coimbra são vários os motivos de interesse, mas talvez convenha destacar os seguintes momentos:

– A programação do dia 21 de outubro, no Convento São Francisco, que contempla 4 concertos, 3 showcases e uma masterclass;
– O concerto de Marcelo D2 & SambaDrive, também no Convento São Francisco, no dia 26 de Outubro;
– O programa desenhado em parceria com a Agência para a Promoção da Baixa de Coimbra (APBC), que oferece quatro concertos de entrada gratuita em diferentes espaços da Baixa, sendo que alguns desses espaços não estão habitualmente abertos ao público;
– O dia de encerramento do Festival (28 de outubro), com concertos do Peter Evans Ensemble (no Conservatório de Música de Coimbra) e de Norberto Lobo (com Yaw Tembe, Ricardo Jacinto e Marco Franco), no Salão Brazil.

Pode consultar a programação aqui. Os bilhetes estão disponíveis nos locais dos concertos, na BOL e locais habituais. Garante já o teu!

Fala connosco, dá-nos a tua opinião!