Texto: Bruno Figueiredo

O Vodafone Paredes de Coura está quase a voltar e nós quisemos trazer-vos algumas sugestões para melhor aproveitar a vossa estadia no Festival.


Com 24 anos de história, e uma 23ª edição esgotada em 2015, o Festival Paredes de Coura já é marco certo no panorama nacional dos festivais de Verão, sendo um dos mais icónicos festivais do país. Este ano voltamos à praia fluvial do Tabuão para mais uma edição, com muita música e bom ambiente à mistura.

Pois bem, falemos sim do que espera os festivaleiros neste ano 2016. A começar bem cedo, com os que aproveitam esta altura para tirar férias, o festival sobe à vila. Assim, de 13 a 16 de Agosto, poderão contar com concertos no centro da Vila de Paredes de Coura. No cartaz podemos encontrar The Bellrays, GalgoTime for T, o eterno enamorado barcelense Duquesa, as irmãs Pega Monstro ou os Quelle Dead Gazelle, entre outros. Não haverá assim uma noite por preencher na semana que se avizinha ao festival.

13767414_1232172373460031_5729395212651504504_o


Falemos ainda da Vila. Paredes de Coura é, durante estes dias, o paraíso dos campistas que vagueiam pelas ruas à procura de uma sombra ou esplanada onde podem beber a tão esperada cerveja fresquinha para, depois, ao final da tarde, seguirem em direcção ao recinto, onde encontrarão o melhor da música internacional e nacional. Tal como a vila, também as margens da praia fluvial do Tabuão se enchem de festivaleiros, que pretendem refrescar-se no rio Coura. Mas, no final de contas, é da música que por lá passa que vive o festival, por isso vamos ao que interessa.

2016 é o ano em que o recinto do Vodafone Paredes de Coura recebe um cartaz de luxo, encabeçado pelos LCD Soundsystem.

A banda de James Murphy, que em 2011 anunciou o fim, regressou em 2015 com novo single e é em 2016 que nos chegam com a promessa de um novo trabalho de estúdio. Assim, temos a certeza que Paredes de Coura será o palco ideal para rever clássicos e receber de braços abertos as novidades do projecto nova-iorquino. Mas não nos foquemos apenas em LCD Soundsystem, pois nomes como Unknown Mortal Orchestra, Portugal The Man (que irónicamente são norte-americanos), Chvrches ou The Vaccines marcam presença no cartaz desta edição e todos eles são bons motivos para comparecer.


Já do nosso lado, as sugestões passam por algumas novidades nacionais e internacionais, começando pelos Algiers. Os britânicos passaram por nós no palco Super Bock do NOS Primavera Sound e deixaram-nos de rastos. Energia em palco, sonoridade única que apenas pode ser descrita como algo novo, sem par, com uma performance que leva emprestado do soul, gospel ou indie rock entre outros. São uma das nossas apostas para 2016 e aconselhamos vivamente a não perder o concerto deles no palco Vodafone FM, no dia 18.


Damos o devido destaque também aos bracarenses Grandfather’s House. O trio composto por Rita Sampaio, Tiago Sampaio e João Vítor Costeira tem vindo a mostrar que Braga não tem só igrejas. O misto de rock e ritmos electrónicos em temas como “Sweet Love Making” ou “Life Deserves”, são motivo suficiente para não tirar os olhos do palco e embarcar numa viagem quase hipnotizante pela sonoridade da banda, sempre suportada pela voz de Rita Sampaio que tem tanto de suave como de intensa e nos seduz vezes sem conta. Actuam, eles também, no palco Vodafone FM, mas no dia 20.

Ainda em solo nacional, não podíamos deixas de sugerir os concertos dos Sean Riley & the Slowriders e dos Capitão Fausto. Ambas as bandas lançaram discos este ano e mostram-nos que há realmente coisas que melhoram com a idade. De um lado, um disco em que o folk e o rock se encontram numa mistura perfeita, do outro, as sonoridades rock e as letras que fazem de “Capitão Fausto tem os Dias Contados” um sério candidato a disco nacional do ano. O concerto dos Sean Riley & the Slowriders terá lugar, dia 19, no palco Vodafone FM, e o concerto de Capitão Fausto no dia 20, no palco Vodafone.


Não nos podemos ainda despedir sem aconselhar resistência. O Festival acaba este ano com o set de Matias Aguayo no palco After Hours e é sempre bom dançar ao som tropical do chileno, seja em que palco for.

E é tudo, pelo menos por agora. Encontremo-nos dia 17 no recinto junto ao Taboão e, até lá, podemos apenas desejar um bom festival cheio de música e animação para todos os que nos acompanharem.

Fala connosco, dá-nos a tua opinião!