Texto: Rita Perdiz | Fotografia: Bruno Figueiredo

Repetindo o enorme sucesso do ano passado, a ERRO CRASSO, juntamente com Lovers & Lollypops, trouxe até Coimbra, no solarengo passado Domingo o Isto Não é o Milhões de Festa 2016 – um aquecimento para o festival a realizar-se entre os dias 21 e 24 de Julho, em Barcelos.


As pessoas que iam completando o terraço e as varandas do Aqui Base Tango não tiveram que esperar muito para o início do concerto do duo Galo Cant’às Duas. Os galos Hugo Cardoso e Gonçalo Alegre têm tanto a capacidade de electrizar como a de hipnotizar quem os ouve. Eles são totalmente experimentais e de uma energia contagiante. É, sem dúvida, uma das bandas a colocar na playlist deste Verão (e dos próximos). A introdução do contrabaixo foi um dos pontos altos do concerto, elevando ainda mais a vontade de viajar e partir numa aventura pelo mundo fora.

Enfrentando algumas dificuldades técnicas, os Vive les Cônes dispensam apresentações pois as perucas em conjunto com as camisas divertidas não deixam dúvidas do que irá acontecer. Para testar o som, começaram por passar uma espécie de polifónico da música dos anões da branca de neve misturada com ritmos electrónicos. Vê-los, faz lembrar duas crianças a brincar numa mesa de misturas e experimentar todos os sons que dela podem surgir. É caso para dizer: as crianças divertem-se. Num registo inegavelmente electrónico que se vai cruzando com harmonias etéreas, surgem batidas de músicas do conhecimento de todos, como por exemplo a música do 007, do Harry Potter ou até mesmo do Dartacão, o cão mosqueteiro.

Provavelmente por causa do calor que se fazia sentir, o público não reagia da forma pretendida para aquele som. Assim, num dialecto parecido com o francês, os Cônes elevaram as vozes e pediram mais dança e energia. Com toda a razão, uma vez que as suas criações merecem ser entranhadas e sentidas em forma de dança no corpo humano. Alguns lá se levantaram, outros mantiveram-se como estavam. Despediram-se ao som de uma música mais melancólica, contrastando com o registo anterior.

A pausa que se seguiu serviu para entregar os dois bilhetes sorteados e ir buscar mais umas quantas cervejas pois o calor não estava a dar tréguas. A piscina do Milhões já vinha a calhar.

Na hora de Equations subirem ao palco, quase que já não restava espaço no terraço. Bruno Martins, Gonçalo Duarte, José Cordeiro, José Santos e Vítor Barros criaram, sem dúvida, o melhor momento musical da tarde, desta vez não deixando ninguém indiferente.

As pessoas que iam passando na rua não conseguiam deixar de parar e observar o espetáculo que se fazia ouvir e ver. Os portuenses elevam o psicadelismo a outro nível, dão espetáculo até mais não, acabando por criar finalmente um ambiente de festa e de festival.

Fala connosco, dá-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.