Texto: Bruno Figueiredo

O Indie Music Fest está a chegar e nós queremos que, tal como nós, se sintam em casa, por isso aqui ficam todas as dicas e informações que poderão precisar.

13912695_484873155052694_1897978711854306349_n


Este ano a nossa presença no Indie Music Fest é uma estreia. Ainda assim, já vamos preparados para 3 dias da festa mais indie, bem no centro do Bosque do Choupal em Baltar, e queremos partilhar convosco tudo o que podem encontrar por lá durante o próximo fim-de-semana.

Comecemos pela música, ou não fosse ela o elemento fundamental de um festival. Com uma cartaz exclusivamente nacional, há muitas surpresas agradáveis e para todos os gostos. Logo a abrir, podemos prometer novidades dos You Can’t Win Charlie Brown e dos Octa Push. De um lado, um quinteto de experimentalistas, com dezenas de instrumentos à mão; do outro, dois irmãos com jeito para nos fazer dançar ao som do melhor que a produção electrónica nacional tem para dar. O que têm em comum? Ambos nos trarão, em exclusivo, e aos palcos do Indie Music Fest, os seus novíssimos trabalhos.


Do lado dos You Can’t Win Charlie Brown poderemos ouvir, na íntegra, o seu novo “Marrow“, disco do qual já roda por aí o primeiro tema, “Above the Wall”.

Já dos Octa Push, podem contar com o seu “Língua”, que está mesmo, mesmo a chegar, com data de lançamento marcada para o mês de Setembro. Além destes dois momentos únicos, e da nossa parte, há muito que podemos sugerir, até porque um cartaz cheio de grandes nomes nacionais merece todo o destaque.

Apostas certas serão, seguramente, alguns nomes como PAUS, Riding Pânico, Pista ou os Salto, que já nos habituaram a concertos cativantes e cheios de energia, mas numa nota mais “pessoal”, a equipa da Cultur’Arte Mag sugere os concertos de dois projectos com origem conimbricense.


Em primeiro lugar, destacamos os sempre enérgicos The Walks. Este quinteto rock promete surpresas nos tempos que se avizinham, sendo que a primeira de todas subirá a palco já no dia 1 de Setembro pelas 21h01, encabeçando um primeiro dia em que poderão também ouvir nomes como Sun Mammuth ou 800 Gondomar.

Em segundo lugar, mas não menos importantes, falamos dos Ghost Hunt. O duo já nos visitou em “casa” quando passaram no Aqui Base Tango e também cruzámos caminhos junto à piscina do Milhões de Festa, e se há algo que aprendemos com essas duas experiências foi que valem a pena repetir. Tirando partido do trio instrumental de guitarra, baixo e sintetizadores, retirando influências do melhor que o pop-rock nos pode oferecer nos anos 80 e 90, Pedro Chau e Pedro Oliveira prometem um espectáculo que nos fará viajar.

cartaz


Mas a festa mais indie do país não conta só com música. Há também 3 dias cheios de actividades que fazem deste um festival muito especial.

Começamos pelo que toda a gente já conhece, a piscina by Paez: o lugar do descanso e onde os festivaleiros podem apanhar banhos, uns de sol, outros molhados. Depois de um bom banho, e antes de começar a dançar, podem passar pelos momentos Indie Cook, com apoio do Intermarché, que serão compostos por duas demonstração culinárias com direito a degustação, protagonizadas pela Chef Cláudia, dona do restaurante Pregaria D’Avó e pelo Chef Jorge D’Alte.

Haverá ainda espaço para concertos secretos by Paez, exposições artísticas e desportos radicais, sendo que no último podem contar com, pelo menos, Drift Trikes.

De resto pouco sobra a dizer. A chegada por comboio é fácil e disponível para todos os dias; de 1 a 4 de Setembro, haverão transfers da estação para o bosque mágico. Para os mais madrugadores, o campismo abre já dia 31 de Agosto, dia máximo também para a oferta especial de bilhetes gerais a 30€ (dos quais só sobram 250), dado que o preço escala para 35€ durante os dias do festival.

Fala connosco, dá-nos a tua opinião!