Texto: Bruno Figueiredo

Aos já anunciados Kaiser Chiefs, James Arthur e Mishlawi, entre outros, juntam-se agora nomes como You Can’t Win Charlie Brown, Flying Cages, Virgul e não só.


Aquela que é apelidada da maior festa de estudantes do país, regressa já daqui a uma semana, com um cartaz cheio de música para todos os gostos. Um plantel nacional e internacional de músicos que variam desde o sucesso televisivo de James Arthur, ao som rock dos Kaiser Chiefs, passando ainda pelos sons da electrónica de Nicky Romero ou, como já é habitual, a noite de festa e arraial com o “tio” Quim Barreiros, nunca esquecendo os sempre presentes e lutadores grupos académicos. Mas destaquemos aqueles que para nós, e para os que descem ao Parque da Canção para ouvir música, são as melhores apostas para uma noite bem passada em frente à tenda principal da Queima das Fitas.

Logo na primeira noite da semana começamos por receber os You Can’t Win Charlie Brown. Os lisboetas, que este ano nos chegam com o seu novo disco, “Marrow”, sobem ao palco para nos trazer um pouco do seu novo e re-inventado ritmo, mais rock e acelerado, e que nos levará a dançar com certeza ao som de temas como “Pro Procastinator” ou “Above the Wall”. Ainda na mesma noite temos o regresso ao recinto, passado 2 anos, do britânico James Arthur. A voz que conquistou o Reino Unido, aquando da passagem pelo programa televisivo X- Factor, tem a capacidade de cativar os mais distraídos e, mesmo não sendo fãs do artista, é difícil negar o talento do mesmo.


Da primeira noite saltamos até ao quarto dia de festa quando Sam The Kid e Mundo Segundo, ambos já nomes lendários do Hip-Hop português, sobem mais uma vez ao palco do festival que já visitaram em 2015, para uma noite cheia de ritmos e batidas que nos prometem levar numa viagem à história e actualidade do hip-hop nacional. Já no dia 11 há o regresso ao recinto do “padrinho” da Queima das Fitas, DJ Ride. O actual campeão mundial de scracth já não é estranho na casa, tendo passado múltiplas vezes por este palco para animar as noites do parque da canção e os estudantes que por lá paravam. Ficamos à espera apenas de novo set porque, não deixando de ser divertido e bom de se ouvir, Ride tem muito mais para dar do que as piadas do costume e Bruno Aleixo. Ficamos à espera de boas surpresas.

Por último damos destaque a dois nome que já cruzaram várias vezes o nosso caminho, e que se juntam numa noite em que as guitarras e vozes arranhadas se tornam donos da atmosfera. Falamos dos conimbricenses Flying Cages e dos britânicos Kaiser Chiefs. Os primeiros, donos de um indie rock veraneio, trazem-nos o seu 2º disco, “Woolgather”, cheio de canções de amor e loucuras com as quais “podemos dançar, gritar, sofrer, sentir, tossir…” tudo isto em frente ao Palco Fórum Coimbra. Os segundos são donos de uma energia impar, de um rock desgarrado e de uma sonoridade pop acelerada, que nasceu da experiência do seu último trabalho, “Stay Together”. Fica-nos as perguntas: onde irá Ricky Wilson parar, numa das suas tão afamadas viagens e explorações ao público e ao espaço do festival? E será que vamos ouvir mais um enorme coro a cantar a Ruby?


A Queima das Fitas Coimbra tem lugar, como sempre, no Parque da Canção, bem à margem do rio Mondego, entre os dias 5 e 12 de Maio, e os bilhetes já se encontram à venda. Segue o cartaz completo.

Mupi Bandas-01

Fala connosco, dá-nos a tua opinião!