Texto: Culturarte | Fotografia: Carina Leitão Joana Mairos

A 5ª noite da festa foi marcada pelos ritmos Hip-Hop, R&B e Reggae no palco principal, enquanto o palco secundário ecoava sons da montanha com Analog Art Man


O 5º dia de festa da Queima das Fitas teve uma noite díspar entre palcos. Dum lado, a noite começava ao som de Mishlawi e o seu híbrido Hip-Hop e R&B, duas disciplinas musicais que sempre se deram bem e andaram de mãos dadas, animando o público que lá ia aquecendo o ar do recinto. Seguiu-se então, o já quase veterano do Parque da Canção, Richie Campbell.

Nome de destaque do Reggae nacional nos últimos anos, foi ,como sempre, exemplo de energia em palco, percorrendo o seu repertório com um público que a coro ia entoando os temas com cheiro a Verão, Richie Campbell trouxe mais uma noite de animação ao palco principal da Queima das Fitas Coimbra.

Já do palco secundário ressaltamos a passagem dos Analog Art Man. Grupo musical prodígio, da vizinha Lousã, trouxeram-nos uma sonoridade que infunde um misto de rock psicadélico com sonoridades típicas portuguesa, numa banda sonora que nos faz lembrar dos sons da montanha: cruz e naturais mas harmoniosos até à última nota.

Fala connosco, dá-nos a tua opinião!